quarta-feira, janeiro 14

GESTÃO: Além do horizonte

Saiba como funciona a Gestão Horizontal e as principais características de empresas sem hierarquia


Gestão horizontal / Crédito: Getty Images
Crédito: Getty Images
Imagine atuar numa empresa em que não há hierarquia, em que todos colaboram sem controle ou relações de mando. Essa pode ser uma definição simples e direta do modelo de gestão horizontal, metodologia administrativa que está ganhando corpo no ambiente corporativo e despertando o interesse de empresas de todos os portes, incluindo gigantes como IBM e Odebrecht.

No Brasil, a Vagas.com é uma das pioneiras no tema. Como descrito na reportagem ... E todos por um, na edição de maio de 2014, nesse modelo, as equipes funcionam como pequenas empresas. “Embora se faça o que se quer, todos sabem de sua cota de responsabilidade”, destacou o fundador da empresa, Mário Kaplan, na matéria.

Para Erica Isomura, especialista em RH da Vagas.com, com o crescimento contínuo desse modelo, é natural que surjam muitas dúvidas em relação ao ambiente de trabalho e como a relação acontece efetivamente. “Há muita gente que ainda não conhece a metodologia, mas que, em breve, pode ser um futuro funcionário de uma empresa que atua dessa forma”, diz.

Para não errar a mão e entender melhor como funcionam os processos em empresas de gestão horizontal veja ao lado oito dicas de Erica que podem ajudar quem procura trabalhar em uma empresa com modelo de gestão horizontal:
1. Administre o tempo: Saber administrar o tempo é fundamental em uma empresa sem chefes, pois você não terá ninguém cuidando da sua agenda ou dizendo o que você precisa fazer durante o dia, a semana ou o mês. No entanto, em alguns momentos, poderá ser requisitado por diferentes equipes simultaneamente.

2. Priorize projetos e atividades:
 Saber priorizar é fundamental. Aprenda a diferenciar: “urgente e importante”, “importante, mas não urgente”. Isso garante sua eficiência e produtividade.

3. Administre conflitos: Se você está com problemas de relacionamento com uma pessoa da área ou fora dela, precisará resolver para não impactar o objetivo comum e o resultado final.

4. Goste do que faz: Se você faz o que gosta, não precisa de alguém dizendo o que deve ser feito, porque você sentirá prazer no final do dia, semana etc., por tudo que você realizou com qualidade. Essa motivação interna é alimentada pelo prazer que você sente em trabalhar com o que gosta.

5. Seja proativo:
 Em um ambiente sem chefe, você assume o papel de dono e precisa pensar como tal; não pode ficar esperando que as oportunidades apareçam. Você precisa criá-las, seja internamente para divulgação de uma ideia ou até mesmo para a criação de um produto.
6. Comunique-se: Saber se comunicar é essencial, pois em um ambiente aberto o acesso à informação é muito maior, e a possibilidade de ruídos derivados desse ambiente também; portanto, cuidar para se expressar bem e ser compreendido é fundamental.

7. Pense estrategicamente: Desenvolver o olhar para o futuro e ter pensamento estratégico fazem parte do seu dia a dia, pois suas ações hoje impactarão os resultados da empresa amanhã. Geralmente, é o chefe o responsável por pensar estrategicamente – em um ambiente sem chefe, passa a ser responsabilidade de todos.

8. Seja criativo: Problemas novos pedirão soluções novas e originais. Chefes geralmente vêm com as soluções do passado ou padrões e, sem eles, as pessoas precisam ser criativas para olhar um problema ou uma informação e transformar em oportunidades.



FONTE: RevistaMelhor