quinta-feira, janeiro 15

"Criar ícones importa, mas você deve continuar inovando sempre"


Peça da Levi´s (Reprodução)
A Levi´s quer ser icônica e inovadora.  James Curleigh, CEO da Levi’s entrou no palco da NRF 205, a maior feira do varejo mundial, cantando uma música dos Beatles. E iniciou sua palestra com a pergunta: Porque a música e o nosso negócio tem o mesmo desafio? 

A Levi´s 501 é um ícone da cultura americana, a maioria das pessoas conhece a marca e um grande número delas tem bons sentimentos com relação a ela, mesmo que tenham deixado de comprá-la.

E o que isso tem a haver com a música?  Para ele, a música representa momentos memoráveis, um concerto, um acontecimento importante na vida, memórias e o seu grande desafio é recriar isso automaticamente. Isso tem relação com os fãs e nossos consumidores são nossos fãs. 

E qual é o desafio? É chegar perto dos amantes da Levi´s e fazer com que eles adquiram o nosso produto. Segundo Curleigh, existem três tipos de fãs, os que amam e nunca deixaram a marca, os que gostam mas abandonaram e os que não conhecem, mas uma vez que são apresentados irão amar para sempre.

E o que é necessário para isso aconteça? As marcas precisam crescer e se manter nova na cabeça do consumidor. Elas precisam ser simples e sofisticadas, manter-se fiel ao que as torna um ícone e ao mesmo tempo inovar, ser acessível e também aspiracional, dar aos clientes o que eles esperam e ainda ser capaz de surpreender.

Para Curleigh, ainda há outro desafio para o varejo e não é apenas do ponto de vista da marca, mas também operacional já que os clientes esperam comprar a partir de qualquer lugar, a qualquer momento e obter a mesma experiência.

"Criar ícones importa, mas você deve continuar inovando sempre" – Curleigh. Talvez por isso a, democrática, Levi’s lançou as linhas de calças Lote1 (US$ 750 a peça) e  501 customizável e continua sendo aspiracional para os jovens. E assim, sobreviverá mais 160 anos.  




FONTE: Adnews