quarta-feira, dezembro 10

Cursos online vão globalizar ensino


Ivonaldo Alexandre/ Gazeta do Povo /

Inicialmente visto com certo receio por empregadores e instituições de ensino, o ensino a distância agora aparece como uma ferramenta para democratizar a educação. Presente no Brasil por meio de parcerias com universidades, a London School of Business and Finance (LSBF) é considerada referência em intercâmbio e ensino não presencial, e agora investe na ampliação de sua atuação no país. A Gazeta do Povo conversou com o CEO da entidade, Maurits van Rooijen.
Qual é o papel da educação a na globalização?
Uma economia de sucesso não pode se sustentar no longo prazo excluindo grande parte de sua população. Todos precisam estar inseridos e contribuir para esse sucesso econômico e social, e a educação é a chave para isso. Para o ensino ser relevante no processo de globalização é importante que utilizemos os três aspectos chave: ir a outro país estudar, ir a outro país ensinar, e a educação a distancia.
Como o ensino a distância se insere nesse processo?
Ele é acessível e democrático. Teve sobre o ensino tradicional o mesmo impacto da prensa de livros. Antes as pessoas copiavam um ditado, depois se passou a usar o tempo para discussões – foi um salto na qualidade do ensino. Não quer dizer que as salas de aula devem acabar. A ideia é que se use o tempo livre para aprender algo mais.
Como está o cenário atual da educação a distância e sua aceitação por empregadores e estudantes?
Temos a oportunidade de pensar na educação como algo que acompanha e vai além da sua carreira. Primeiro, ela permite que, enquanto estudam, as pessoas já possam usar no mercado e praticar o que aprendem. De outro lado, dá aos empregados já inseridos no mercado a oportunidade de continuar estudando sem abrir mão de seu emprego.
Como é a atuação da LSBF nesse sentido?
Há cerca de quatro anos começamos a apresentar programas de MBA no Facebook, diziam que estávamos loucos, mas hoje é uma referência mundial. Sou confiante em dizer que em poucos anos, teremos mais alunos online do que em cursos presenciais.


FONTE: gazetadopovo