segunda-feira, dezembro 15

A sabedoria das abelhas na tomada de boas decisões

Fazendo uma analogia com as abelhas, os grupos são estruturados com as pessoas de maior conhecimento, diversidade e habilidades. As abelhas ensinam o valor do compartilhamento e singularidade do verdadeiro propósito comum



O que os humanos devem aprender com as abelhas? Para a maioria dos psicólogos, as decisões tomadas por líderes políticos e executivos de negócios ou por consumidores no momento das compras do shopping center, sofrem as armadilhas ocultas, da nossa preferência de não mudar aquilo que fazemos, não trocar de marcas dos produtos, de não mudar do lugar onde vivemos ou da empresa onde trabalhamos.
Há uma tendência natural do ser humano de não sacudir o barco em que está remando, por isso as empresas fecham as portas precocemente, e muitos dos proprietários ficam esperando a poeira assentar para realizar as mudanças ou tomar decisões certas e rápidas.
Fazendo uma analogia com as abelhas, os grupos são estruturados com as pessoas de maior conhecimento, diversidade e habilidades. As abelhas ensinam o valor do compartilhamento e singularidade do verdadeiro propósito comum. Quando se trata de objetivos do enxame, as abelhas realizam suas tarefas, com a participação intensa no bem-estar do grupo, a ponto de frequentemente colocar os interesses do grupo bem acima de seus próprios interesse individuais.
Para os pesquisadores, assim como o cérebro processa informação a respeito do mundo externo através de múltiplos neurônios, o enxame coleta e interpreta informações por meio das abelhas escoteiras no momento que fazem as danças do rebolado na superfície do enxame, além de compartilhar tudo a respeito o que existe lá fora, as abelhas acabam, fornecendo ao grupo todo, um amplo campo de visão. Para os cientistas, as abelhas quando estão em um enxame tornam-se mais relacionadas geneticamente do que qualquer grupo humano e até mesmo em uma grande reunião de família.
Peter Miller (2010), no livro A Natureza Ensina”, afirma que nenhuma abelha assume a responsabilidade de decidir sozinha pelo grupo todo, e para lidar com um problema urgente, as abelhas aproveitam a complexa estrutura do próprio enxame para buscar um objetivo estratégico comum. Já o economista Scott Page da Universidade de Michigan costuma dizer, que quando as pessoas vêem um problema do mesmo modo é provável que todas elas fiquem presas às mesmas soluções. Para obter as melhores discussões, as equipes são formadas de pessoas inteligentes e criativas que não se graduaram nas mesmas escolas.
As equipes interdisciplinares são mais produtivas. Quanto maior a diversidade do grupo, melhor a estratégia para atingir os objetivos. Quanto mais informação coletada, melhor é processo de tomada de decisões, pois quando se trata de grupos, a diversidade é o grande diferencial. “ Ser diferente é tão importante quanto ser inteligente”.


FONTE: administradores