quinta-feira, fevereiro 19

Gartner faz previsões para 2015



O Gartner revelou suas principais previsões para as empresas e usuários de TI a partir de 2015. Os principais prognósticos para esse ano revelam uma mudança nas relações entre o homem e a máquina causada pelas empresas digitais. 

Segundo Cassio Dreyfuss, VP e líder de Pesquisas do Gartner para o Brasil, já existe uma transformação em andamento relacionada às funções dos aparelhos em nosso dia a dia. “Agora, as máquinas baseadas em computação são utilizadas para criar uma variedade de experiências que ampliam o esforço humano”. 

Em sua opinião, as máquinas têm, cada vez mais, características humanas para influenciarem um relacionamento mais personalizado com as pessoas. “Em um futuro próximo, contemplaremos um mundo em que máquinas e humanos serão colegas de trabalho e, possivelmente, ainda mais dependentes um do outro”.

Previsões para 2015

Neste ano, as ofertas públicas iniciais com maior valor envolverão empresas que combinam mercados digitais com logística para desafiar ecossistemas de negócios legados e puramente físicos. Esse processo será possível graças ao amadurecimento da economia para a disrupção digital, conforme apresentado por companhias globais, como a Uber e a Airbnb. A criação positiva de sucesso em tais modelos representa uma atração irresistível para o investimento de capital.

Também haverá mais de 40 fornecedores com ofertas de serviços gerenciados disponíveis comercialmente. As necessidades dos clientes por produtos e serviços mais rápidos, baratos e melhores, estão alimentando a revolução da empresa digital. Com a preferência dos consumidores de usar a Internet e serviços móveis para impulsionar as eficiências comerciais e otimizar a gestão do tempo, as indústrias estão se esforçando para melhorar a experiência dos clientes por meio da simplificação e da automação. 

Até o final deste ano, os assistentes digitais móveis vão cuidar de processos táticos triviais, como anotar nomes, endereços e informações de cartões de crédito. Eventos fixos, como reposição em supermercados, serão comuns e proporcionarão a esses tipos de assistentes a confiança para evoluírem. As compras anuais de assistentes móveis autônomos vão chegar a US$2 bilhões por ano, representando cerca de 2,5% de assistentes confiáveis para usuários móveis com US$50 bilhões por ano. 

Falando em dispositivos móveis, haverá um interesse renovado pelos pagamentos mobile. Os clientes que nasceram e cresceram usando a Internet como plataforma de comunicação, informação e transações e vivem presos aos seus equipamentos vão querer que os provedores de serviços e os varejistas atendam às suas expectativas de experiências de comércio conectadas e indiferentes aos canais. 

Até o fim de 2015, 5% das empresas globais vão projetar processos super manobráveis, que ofereçam vantagens competitivas. Como resultado da inovação dos modelos de negócio, agora, alguns processos serão deliberadamente instáveis, projetados para mudanças e que podem se ajustar dinamicamente, de acordo com as necessidades dos clientes. Eles são vitais por serem ágeis, adaptáveis e super manobráveis, variando com as mudanças nas necessidades dos clientes. A capacidade de mudar rapidamente vai alavancar os conceitos de liquidez organizacional. Esse enfoque holístico, que mistura modelo de negócio, processos, tecnologia e pessoas, vai alimentar o sucesso da empresa digital.

Mais da metade dos produtos de consumo tradicionais terá extensões digitais nativas. Em muitas indústrias, a hiperconcorrência desgastou as vantagens de produtos e serviços tradicionais, fazendo com que a experiência dos clientes seja o novo campo de batalha. Os concorrentes e as alternativas são abundantes e a inovação dos produtos está sujeita a acelerar a comoditização. A inovação da experiência dos clientes permanece sendo o segredo para uma fidelidade à marca duradoura.

Ainda neste ano, mais de 90% dos e-tailers de bens duráveis vão buscar ativamente parcerias externas para dar suporte aos novos modelos de negócio de produtos personalizados. A impressão 3D, por exemplo, já está causando um profundo impacto na viabilização de startups para que reduzam os custos de infraestrutura, em comparação aos processos de manufatura tradicional existentes. 

Médio e longo prazo

Até o final de 2016, 50% das iniciativas de transformação digital serão incontroláveis em virtude da falta de habilidade de gerenciar portfólios, o que levará a uma perda negativa e mensurável de participação de mão de obra no mercado. O novo ambiente de empresa digital vai mudar profundamente os processos de negócio, juntamente com a demografia dos empregos, e a necessidade de competências mais avançadas para os consumidores e para os provedores em todas as indústrias.

No próximo ano haverá um aumento na quantidade de ofertas dos varejistas voltadas à localização do cliente e ao tempo gasto na loja. Cada vez mais, os comerciantes digitais aumentam o foco em propaganda móvel e analítica avançadas para aproveitar as vantagens apresentadas pelo crescimento do uso de equipamentos móveis. Os sistemas de posicionamento interno tornaram-se cada vez mais viáveis. Em vez de usar satélites, essas tecnologias usam faróis Bluetooth de baixa energia e pontos de acesso wi-fi para determinar a localização de um equipamento móvel dentro de um edifício, com precisão na faixa de centímetros. 

A partir de 2017, estima-se que os custos dos cuidados com a diabetes serão reduzidos em 10% por meio do uso de smartphones. Os monitores que podem ser ‘vestidos’ representam uma grande promessa. Os dados podem ser correlacionados com grandes repositórios de informações baseados em Nuvem para gerar ações aprovadas, e, via redes sociais, obter informações. O Gartner prevê que os dados de dispositivos de monitoramento remoto vão oferecer acesso contínuo dos pacientes aos médicos. Até 2020, a expectativa de vida no mundo desenvolvido vai aumentar em meio ano em virtude da crescente adoção de tecnologias sem fio de monitoramento da saúde.

Em dois anos, o engajamento dos clientes de mobilidade nos EUA vai impulsionar o faturamento do comércio móvel local em 50% das receitas do comércio digital. Aliás, falando em mercado eletrônico, as empresas digitais vão demandar 50% menos trabalhadores em processos de negócio e 500% mais empregos-chave, comparados aos modelos tradicionais.

Ainda em 2017, 70% dos modelos de empresa eletrônica bem sucedidas vão depender de processos instáveis e projetados para mudar conforme as necessidades dos clientes. Cerca de 50% dos investimentos em produtos de consumo serão redirecionados para inovações na experiência dos consumidores.

Até 2020, as empresas de Varejo que usam mensagens dirigidas combinadas aos sistemas internos de posicionamento (IPS) verão um aumento de 5% nas vendas.




Fonte: Decision Report